• NOTA


    A pessoa mencionada na reportagem “Suspeito de sequestrar e estuprar jovem durante dois dias é detido”, publicada no dia 11/06/2013, foi absolvida das acusações que lhe foram feitas, diante da ausência de provas.
  • VÍDEOS: Jornal da Tribuna 2ª Edição de sexta-feira, 25 de maio 



    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Baixada Santista e do Vale do Ribeira.  Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Baixada Santista e do Vale do Ribeira. 
  • Guarda municipal é baleado durante tentativa de assalto em Mongaguá, SP



    Crime aconteceu em um estabelecimento da Vila Atlântica. Vítima passou por cirurgia e está fora de perigo. Crime foi registrado na Delegacia de Mongaguá, SP G1 Santos Um guarda municipal foi baleado dentro de um estabelecimento durante uma tentativa de assalto em Mongaguá, no litoral de São Paulo. A vítima, de Praia Grande, estava à paisana quando foi atingida. Até agora, ninguém foi preso. O crime aconteceu na tarde de quinta-feira (24), em um comércio da Rua 7 de Setembro, na Vila Atlântica. A dupla desceu de um carro preto e já entrou no estabelecimento anunciando o assalto. Enquanto um deles ordenava que o comerciante, de 42 anos, passasse o todo o dinheiro que havia no caixa, o outro mandou o cliente, um guarda municipal de 37 anos, levantar a camisa. Ainda segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), no instante em que a vitima o obedeceu, o assaltante efetuou o disparo. Assustados, os dois fugiram em um carro de cor preta, sem levar nada do comércio. Equipes da Polícia Militar foram acionadas ao local. A própria vítima relatou o ocorrido aos policiais, que também acionaram equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O guarda foi socorrido ao Pronto Socorro Central de Mongaguá e, em seguida, transferido par ao Hospital Santo Amaro, em Guarujá. Ele passou por cirurgia para a retirada do projétil e não corre risco de vida. O caso foi registrado como roubo na Delegacia Sede de Mongaguá, que solicitou exame residuográfico na vítima. Um inquérito foi instaurado para apurar os autores do crime.
  • Postos da Baixada Santista e do Vale do Ribeira estão sem gasolina e etanol, diz sindicato 



    Sindicombustíveis Resan, que representa 300 estabelecimentos nas duas regiões, afirma que somente 1% ainda tem diesel.  Posto localizado em Santos, SP, ficou sem movimento por falta de combustível Otavio Augusto/Arquivo Pessoal A entidade que representa 300 postos de combustíveis na Baixada Santista e no Vale do Ribeira, em São Paulo, informou que não há mais gasolina e etanol para serem comercializados nos estabelecimentos das duas regiões. O desabastecimento é reflexo do protesto dos caminhoneiros, que estão parados há cinco dias. O presidente do Sindicombustíveis Resan, José Camargo Hernandes, informou ao G1 na noite desta sexta-feira (25), que somente 1% dos postos das duas regiões possui diesel para ser comercializado. "A demanda fez com que os estoques acabassem rapidamente. Esperamos o fim da situação para normalizar o sistema". A Fundação Procon informou que notificou os proprietários de dois postos localizados em Santos nesta sexta-feira para que apresentem as notas fiscais da compra de combustíveis. Os fiscais apuram eventual abuso em relação ao preço de venda ao motorista pelo aumento da procura registrado nos últimos dias. Também nesta sexta, o presidente do Sindicato Comércio Varejista Derivados Petróleo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouveia, disse que os postos de da Grande São Paulo, incluindo a capital paulista, também não têm mais gasolina comum e etanol. A Região Metropolitana tem 2,1 mil postos de combustíveis. Diante da situação, equipes da Polícia Militar escoltaram caminhões-tanque com combustível para abastecer viaturas da corporação e do Corpo de Bombeiros. O acompanhamento, que aconteceu nas cidades de Santos e Praia Grande, não enfrentou resistência dos caminhoneiros, que permanecem realizam atos nas regiões. Caminhoneiros permanecem bloqueando acesso ao Porto de Santos (SP) em quinto dia de protesto Solange Freitas/G1 Paralisação Ao longo do dia, os caminhoneiros realizaram carreatas pelas ruas de Santos e de São Vicente para reafirmar a continuação da greve. Com faixas e cartazes, veículos realizaram buzinaço e provocaram congestionamento nas vias, que não foram bloqueadas para o tráfego. Equipes da polícia acompanharam os atos. No cais santista, os bloqueios permanecem no acesso à Margem Direita, no bairro da Alemoa, em Santos, e na Margem Esquerda, no Distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá. Há também caminhoneiros em frente ao pátio rotativo de veículos, localizado em Cubatão, que regula a distribuição de caminhões o porto.
  • VÍDEOS: Jornal da Tribuna 1ª Edição de sexta-feira, 25 de maio



    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Baixada Santista e do Vale do Ribeira. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Baixada Santista e do Vale do Ribeira.